Foram duas noites permeadas com mais tranquila e feliz harmonia. O palco armado na arena da Fundação Cultural Tancredo Neves - Centur, levou cerca de 1000 pessoas para ouvir e dançar os melhores sons produzidos no estado. Do instrumental do Grupo de Percussão da Vale, ao techno "treme" da Gang do Eletro, tudo foi feito para dar a Belém o melhor dos coros dos parabéns à você.

 

As noites de sábado, 11, e domingo, 12 de janeiro de 2014 marcaram o aniversário de Belém com uma festa de ritmos dançantes e alegres. Famílias inteiras compareceram ao Centur para prestigiar os artistas Gigi Furtado, Arthur Espíndola, Banda Fruta Quente, Grupo de Percussão Vale Música, Trio Chamote, Pinduca e Gang do Eletro.

 

As 150 cadeiras disponibilizadas para o público em cada dia do projeto Ver o Peso da Nossa Música, não foram suficientes para comportar a quem compareceu ao Centur. Até porque, as levadas de tecno, carimbó, samba e cumbia convidavam a dançar e celebrar da forma mais alegre e descontraída possível o aniversário de Belém. Bailarinos profissionais se misturaram à crianças e idosos, felizes, em participar da festa que trouxe alguns dos maiores artistas paraenses. Até mesmo o guitarrista Chimbinha, da banda Calypso, compareceu para uma "canja" com banda Fruta Quente.


 
Para o sambista Arthur Espíndola, que se apresentou no sábado, essa interação entre os músicos é o resultado direto da qualidade do evento. “Quando o projeto é bem feito e bem organizado, a gente sente a diferença", afirmou.
 
O cantor Pinduca é outro grande artista que compartilha da opinião de Arthur. Segundo ele, ações como essa não podem nunca ser interrompida, pois é a oportunidade de aliar novos talentos aos ícones da música paraense e com isso presentear o público da cidade.
 
E foi mesmo como um presente que a atriz carioca Mayara Maia, 24 anos, percebeu o projeto. "Chegar em Belém a passeio, como eu cheguei, e ser surpreendida com shows dessa qualidade é um presente incrível", declarou. Sentimento parecido externou também o administrador paulista Fábio Santos, 25 anos: "Eu vim rápido visitar a cidade, nem sabia que era aniversário e quando vi tinham todos esses shows de artistas que a gente escuta lá fora", disse ele.
 
Para o gerente de Relacionamentos e Comunicação da Vale  no Pará,  Paulo Ivan Campos, estar presente no Ver o Peso da Nossa Música, é uma forma de mostrar a coerência dos valores  da Vale. "Está entre os nossos valores apoiar o desenvolvimento da cultura local. E nada mais cultural que ver a Gang do Eletro, Fruta Quente e Pinduca, juntos no mesmo palco, em pleno aniversário de Belém. É uma alegria para todos nós".

 
Keila Gentil, da Gang do Eletro conta que o show é uma emoção dupla. "É o nosso primeiro show de 2014, na nossa casa e no aniversário da cidade, isso é um presente pra gente também. Espero que esse projeto cresça cada vez mais", declarou a cantora, responsável por momentos de grande entusiasmo na noite do domingo.
 
Foi no show da Gang que senhoras de mais de 60 anos de idade, puderam mostrar "só no charminho" a empolgação do tecno eletro. As batidas pulsantes do grupo literalmente tremeram o palco e a arena do Centur, onde senhoras e crianças dançaram ao som do "treme".
 
Mas foi a noite de sábado quem colocou a arena inteira pra dançar. A grande roda, com mais de 100 pessoas, formada durante a "Quadrilha Maluca" da banda Fruta Quente, deixou a arena inteira suada, entusiasmada e feliz. "Fazia tempo que eu não me divertia assim, com toda a família, foi muito legal todo mundo cantando e dançando aqui", entusiasmou-se a bacharel em direito  Andrea Marques.
 
Segundo o cantor Eraldo Ramos, o show de sábado foi um dos mais bonitos da banda e a sensação que fica é a de agradecimento com gosto de continuidade. “É muito importante que projetos como esse sejam mantidos. Nosso desejo é que haja uma festa dessas por mês, porque é isso que Belém merece”, afirmou.
 
O projeto “Ver o Peso da Nossa Música”, foi realizado nas noites de sábado (11) e domingo (12) durante as comemorações do aniversário de 398 anos de Belém. Além dos shows, houve ainda feirinha de moda com as marcas Tu Crias, Da Tribo, Virgílio Moura e Arte Papa Chibé.  O “Ver o Peso da Nossa Música” tem patrocínio da Vale, com apoio da Fundação Cultural Tancredo Neves e realização da M.M Produções.

Parabéns à Belém ao som da música paraense

Fones.: (91) 3199-9890 | 3355-8668 | 98360-4112 Zap

Instagram: @mmproduz